O que aprendemos no PackCast com a Aaron?

Saiba como foi a nossa entrevista com o diretor comercial da Aaron Rótulos

PUBLICADO

Entrevista com Aaron Rótulos

Dando sequencia à segunda temporada do nosso podcast PackCast, fizemos uma entrevista com a convertedora de rótulos Aaron Rótulos. Mantendo o protocolo, aproveitamos o vídeo para o formato webcast em nosso canal do YouTube (convidamos a todos para se inscreverem em ambos, links ao longo da postagem).

A Aaron é uma tradicional convertedora de rótulos cearense, que ocupa posição de liderança no mercado norte e nordeste do país, produzindo rótulos e etiquetas impressas em flexografia.

Baixe grátis agora mesmo, como cortesia, a última edição de 2020 da ProjetoPack em Revista.

Baixe gratis agora mesmo, a última edição de 2020 da ProjetoPack em Revista.

Nosso bate-papo contou com a ilustre presença de Luciano Bezerra, diretor comercial da empresa e sucessor.

A Aaron nos conta que, diferentemente da maioria dos convertedores da região, a empresa começou com uma impressora modular. À época, isso foi um desafio duplo, uma vez que o mercado não estava preparado para a tecnologia: embora a qualidade fosse ímpar, o preço de venda era restritivo.

Luciano nos conta que o mercado norte e nordeste é majoritariamente cost driven – isto é, bastante sensível aos preços. O cliente também gosta de negociar (cultura) e exige que os fornecedores sejam versáteis em portfólio.

Esta versatilidade demandada pelos clientes de se produzir “um pouco de tudo”, aliada à questão logística, impõe outro fardo importante aos convertedores da região: a necessidade de estoque de matérias-primas variadas, de capacidade industrial superdimensionada e setups mais lentos para atender a um leque heterogêneo de produtos.

A mão-de-obra qualificada ainda é um problema na região. O impressor aprende perdendo material bom a cada serviço.

A Aaron segue crescendo, a despeito de enfrentar concorrentes multinacionais ou campeões nacionais que, mesmo localizados nas regiões sul e sudeste, conseguem ofertar seus produtos de forma competitiva (muitas vezes preços predatórios, segundo a empresa) e com lead times super curtos. Luciano explica que a forma de sobreviver a esta batalha é agregar um serviço técnico e um atendimento diferenciado.

Dois outros temas importantes que merecem seu tempo é a explicação da Aaron sobre a sua nova fase de autofinanciamento versus a fase anterior, onde possuíam um sócio investidor. Falou-se sobre o que muda ao sair de uma suposta “zona de conforto” para a realidade de se angariar fundos com a própria operação e com agentes financeiros do mercado.

O outro, e não menos relevante tema diz respeito à impressão digital. A empresa adquiriu uma impressora digital e desistiu do equipamento, comentando os motivos que a levaram a retroceder com o investimento e a aprendizagem no processo.

Ouça mais entrevistas do PackCast:
Entrevista com Celiano Cenci, da Brazicolor
Entrevista com Ronnie, da Etirama

Compartilhe isso:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Relacionados

Assine o Infopack no LinkedIn

Posts Relacionados

Arquivo