Innovation Alliance se propõe a ir além da indústria 4.0

Cinco feiras em um mesmo espaço ao mesmo tempo. O conceito em si já é bastante desafiador, mas foi justamente esta a proposta da Innovation Alliance. Entre os dias 29 de maio e 01 de junho, os pavilhões da Fiera Milano (Milão – Itália) receberam cinco diferentes setores industriais: embalagem (Ipack Ima), plástico (Plast 2018), impressão (Pint4All), logística (Intra Logistica) e carne (Meat Tech). A junção, como atestou Fabrizio Curci, CEO da Fiera Milano, “resultou no maior e mais importante evento europeu dedicado a soluções de manufatura industrial”.

Todas as feiras com um tema central em comum – indústria 4.0, sob um olhar diferente: ir além deste conceito, mesmo ele ainda sendo recente. “Hoje, o setor de máquinas industriais mostra um super interesse por evoluções tecnológicas profundas, o que tem trazido à tona o paradigma da indústria 4.0: como atingir esta evolução, aumentando os níveis de qualidade, mas respeitando o compasso de recuperação do mercado e reunindo profissionais capacitados?

Os especialistas defendem que a inovação não está relacionada apenas ao progresso tecnológico, pautado por mecatrônica ou robótica avançada. É fundamental a presença de profissionais treinados que criem novas oportunidades e estejam focados em dinâmicas de integração e possíveis sinergias entre os vários setores. “Este foi justamente o pano de fundo para a criação da Innovation Alliance. Reunir em um mesmo ambiente empresas que querem consolidar sua excelência e confirmar sua liderança qualitativa em mercados internacionais, mas sem esquecer de se relacionar com setores correlatos. Uma abordagem mais de “manufatura inteligente”, sintetiza Curci.

Temas transversais como economia circular, save food, economia de energia e mecanismos para evitar falsificação também permearam as cinco feiras. Considerados “hot topics”, estes temas têm pautado os treinamentos profissionais na Europa e têm um papel fundamental no projeto das linhas de produção e na escolha de novas tecnologias.

Para Enrico Aureli, Presidente da Ucima (Associação Italiana dos Fabricantes de Máquinas de Embalagem), todos estes temas já estão na lista de “to do things” das indústrias de embalagem. “Até porque os fabricantes italianos entenderam que eles têm uma forte vantagem competitiva: estar na “terra da tecnologia” (slogan adotado pela edição da Ipack Ima deste ano).”

Tradicionalmente os fabricantes italianos de máquinas para embalagem se beneficiam da reputação e da penetração de seus produtos no mercado internacional. O Departamento de Pesquisa da Ucima identificou que entre 2016-2019 as exportações do setor devem registrar alta de 5,3%. Os melhores desempenhos são esperados na Ásia (+7,3%) e na África (+6,5%). A Europa manterá seu ritmo e as vendas para a região devem aumentar cerca de 3% no período. Em 2017, os fabricantes italianos de máquinas de embalagem registraram uma alta de 6,3% em vendas que resultou em um faturamento de € 7 bilhões.

“Lady Be, reciclagem artística” é exatamente o que o slogan sugere: uma jovem que decidiu transformar pedaços de plástico pós consumo em arte. Em uma área especial na Plast 2018, em Milão, a artista Romana que adotou o codinome Lady Be diz que tão importante quanto a arte é a consciência sobre o problema da reciclagem. E é isto que suas obras afloram a quem se propõe a contemplá-las. “Quero chamar a atenção do mundo atual e futuro, onde cada vez mais recursos são desperdiçados, de que para sobrevivermos precisamos ser mais sustentáveis.”

Segundo Lady Be, a reciclagem é discutida há muitos anos, mas é mais raro ver a abordagem da “reciclagem artística”. Basicamente suas obras são mosaicos contemporâneos que retratam ícones da cultura pop. “Os pedaços de plástico que perderam sua função original, simplesmente se transformam em ‘cores’”, sintetiza. Para mais informações, visite www.ladybeart.com

Comentários

Comentários